Lojas HUMANA

Almirante Reis 3Av. Almirante Reis 104-B 1150-022 Lisboa
Tel: (+351) 218 139 327

Almirante Reis 1Av. Almirante Reis 26-A 1150-018 Lisboa
Tel: (+351) 217 971 019

Júlio DinisRua Júlio Dinis 936 4050-322 Porto
Tel: (+351) 22 600 08 08

Morais SoaresRua Morais Soares 70 1900-348 Lisboa
Tel: (+351) 218 131 557

Almirante Reis 2Av. Almirante Reis 94 1150-022 Lisboa
Tel: (+351) 218 132 713

AreeiroPraça Francisco Sá Carneiro 10A - 10B 1000-160 Lisboa
Tel: (+351) 218 450 909

FanqueirosRua dos Fanqueiros 225 1100-229 Lisboa
Tel: (+351) 218 861 187

CedofeitaRua de Cedofeita, 327 4050-109 Porto
Tel: (+351) 220 123 394

Passos ManuelRua Passos Manuel 62 4000-450 Porto
Tel: (+351) 22 201 17 80

Alexandre BragaRua Alexandre Braga 134 4000-124 Porto
Tel: (+351) 222 058 072

5 de OutubroAvenida 5 de Outubro, 72 1050-059 Lisboa
Tel: (+351) 217 931 799

A recolha seletiva de roupa representa apenas 4.3% do que os portugueses deitam fora

14-05-2018

A roupa usada é um dos tipos de resíduos com percentagem de valorização mais alta. No entanto, apenas 4.3% é recolhido de forma seletiva das 195 mil toneladas de roupa que os portugueses deitam fora num ano, de acordo com os dados do PERSU (Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos). Estes indicadores denotam a necessidade de reforçar medidas e ações sobre a importância de colocar o têxtil num contentor adequado para que possa ter uma segunda vida.  

União Europeia (EU) estabeleceu uma estratégia para os Estados-Membros impulsionarem os mecanismos que permitirão aos municípios, responsáveis pela gestão dos resíduos, contemplarem a recolha seletiva da roupa usada, medida essa que será obrigatória em 2025. Esta medida promove a reciclagem e a reutilização da roupa e do calçado. 

A importância da reutilização para um planeta mais sustentável

No Dia Mundial da Reciclagem, que se celebra a 17 de maio, a Associação Humana recorda a importância da reutilização para a sustentabilidade do planeta. Este dia incide sobre a necessidade de converter os resíduos em recursos. Com a reciclagem e reutilização, contribuimos ativamente para a proteção do meio ambiente; alargamos a vida útil dos produtos e, quando esta termina, reintroduzimo-la no mercado seguindo o modelo da economia circular; reduzimos as emissões de gases de efeito de estufa, responsáveis pelas alterações climáticas; criamos novos postos de trabalho no “sector verde”. 

Em fevereiro deste ano, a EU decidiu aumentar a percentagem de resíduos municipais que devem ser reciclados de 44% para 55% a partir de 2025, uma das medidas do pacote de ações para melhorar a gestão de resíduos. De acordo com o Relatório de Estado de Ambiente de 2017, em Portugal apenas 38% dos resíduos urbanos são submetidos à preparação para reutilização e reciclagem, assim que há ainda um longo caminho a percorrer para alcançar o objetivo ótimo. 

Considerando que apenas 1 em cada 23 peças de roupa são recuperadas por um gestor autorizado para reutilização ou reciclagem, para chegar à percentagem imposta por Bruxelas, é necessário aplicar um conjunto de medidas: adotar medidas legislativas, aumentar ações de sensibilização e consciencialização, reforçar a transparência do sector de gestão de resíduos e facilitar meios de depósito de doações em contentores apropriados aos cidadãos. 

Há que recuperar os resíduos e transformá-los em recursos

No dia mundial da reciclagem, a Humana realça a hierarquia dos resíduos baseada na legislação europeia, priorizando a prevenção e a preparação para a reutilização antes da reciclagem. Ou seja, converter os resíduos já produzidos em novos recursos. 

Como especialista em recolha seletiva de têxtil, a Humana gere as doações de roupa e calçado dos cidadãos com o fim de obter o máximo aproveitamento dos resíduos têxteis, dando-lhe uma segunda vida e favorecendo o modelo da economia circular. Em 2017, a Associação recolheu 3.347 toneladas de roupa usada. 

9 em cada 10 peças de roupa usadas são passíveis de ter uma segunda vida através da reutilização ou reciclagem. Passar de um modelo de economia linear para circular é indispensável para a sustentabilidade da indústria da moda e do planeta. Desenvolvendo uma gestão apropriada do têxtil ao longo do seu ciclo de vida torna possível a sua reintrodução no mercado como peça em segunda mão ou em forma de outro produto.